Minha viagem para a Tailândia: surpreendente e inesquecível

  • por:
  • 4 de dezembro de 2017
  • 1 comentário
Minha viagem para a Tailândia: surpreendente e inesquecível

Há cerca de cinco anos eu encasquetei com a Tailândia. Ela subiu para o topo da lista de desejos com todas as expectativas possíveis. E não é que ela entrega. Mais que isso: a Tailândia surpreende! Lugar único e muito diferente da cultura ocidental, conhecer esse país é se abrir para um mundo desconhecido. Nenhum lugar que eu havia estado antes é capaz de misturar tanto a tradição com a modernidade e a religiosidade com o hedonismo. Um destino muito mais barato do que a maioria das pessoas imagina, uma experiência muito mais rica do que pode parecer. Então vamos falar um pouquinho sobre a minha viagem para a Tailândia?

A capital da Tailândia

Bangkok Tailândia

Bangkok é aquela cidade onde você vai encontrar um pouco de tudo. Ao pisar no aeroporto após uma viagem de mais de vinte e quatro horas, já é possível perceber que é preciso muita energia e disposição para absorver cada detalhe, gesto, sabor, oração, sentidos e sensações que a capital tailandesa oferece. Em meio ao caos e ao trânsito caótico inerente às grandes metrópoles, a gente encontra centenas de templos budistas incrivelmente lindos, silenciosos e capazes de proporcionar uma paz única a quem visita.

Provavelmente em nenhum país você vai encontrar a vivência do budismo com os seus rituais, templos e monges inseridos no dia a dia da sociedade como lá. É genuíno deles. São tantos aspectos que é até difícil falar, mas destaco a visita ao Templo Wat Pho, onde está o Buda reclinado de 46 metros, e o Wat Arun, localizado na beira do Rio Chao Phraya e que tem o pôr do sol mais lindo da cidade. O budismo na Tailândia é algo tão verdadeiro que vivenciá-lo de alma se torna um dos grandes encantos da visita a esse país.

Leia também: 20 curiosidades sobre a Tailândia

E os tuks tuks? Como não amar se locomover pela cidade nesse meio de transporte tão tradicional e ao mesmo tempo tão turístico. O primeiro passeio de tuk tuk a gente não esquece. Tem vento na cara, desconforto e manobras arriscadas, mas tem rapidez, emoção e diversão.

E se no calor do dia a gente se dedica a conhecer a cultura budista, os templos, as construções modernas, as massagens e tantas outras atrações bem turistonas, quando o sol se põe, Bangkok se transforma e se torna tudo aquilo que o filme “Se beber não case 2” mostra pra gente: agitação e hedonismo até o sol nascer, na rua, nos restaurantes e casas noturnas, com destaque para a emblemática Khao San Road, reduto de mochileiros do mundo inteiro, e os rooftops, com suas baladinhas mais sofisticadas e dedicadas àqueles turistas com budget maior.

Chiang Mai dentro da viagem para a Tailândia

Chiang Mai Tailandia

E se Bangkok é sinônimo de uma experiência maravilhosa, mas esgotante, a tranquila Chiang Mai, considerada a capital espiritual da Tailândia e localizada ao norte do país, abranda o corpo e alma com sua história milenar, povo hospitaleiro, templos históricos e tranquilidade. Nessa antiga cidade murada você poderá participar do ritual de oferenda ou passar horas conversando com os monges, conhecer os mais de 300 templos budistas, visitar tribos locais (como das mulheres girafas) e interagir com elefantes (nesse caso é preciso escolher bem o local).

Também poderá observar as ruinas do antigo muro, curtir o ir e vir dos cidadãos nos restaurantes e cafés de primeira qualidade, aproveitar as massagens tailandesas e fazer muitas comprinhas no Night Bazzar, uma feira de rua tradicional que acontece todas as noites em uma região superturística da cidade, com vários hotéis e restaurantes ao redor. Inesquecível.

Ache o seu hotel ideal em Chiang Mai aqui

As praias da Tailândia

Sou suspeita para falar, pois praia é o meu habitat natural, mas elas provavelmente vão te deixar boquiaberto, com tantos tons de azul turquesa e verde esmerada, com a calmaria do mar, com a temperatura quentinha da água e com as enormes e conhecidas pedras de calcário que emergem do oceano, transformando aquele em um cenário único no mundo.

Dentre as tantas opções de praias e ilhas para se hospedar, escolhemos Krabi (praia de Ao Nang) e as Ilhas Phi Phi, essas últimas tão famosas devido ao filme “A Praia” e por terem sido devastadas durante o Tsunami de 2004.

Phi Phi Islands

Viagem para a Tailândia

Nos encantamos com os dois locais, mas Phi Phi realmente faz jus a sua fama mundial. O arquipélago conta com ilhas e praias paradisíacas. Tanto a ilha principal, onde está a vila, como as outras não habitadas são imperdíveis. A estrutura de restaurantes e hotéis é ótima e é possível contratar os mais diferentes passeios com os tradicionais barcos long tails nas centenas de agências espalhadas pelas ruas de lá. Reserve ao menos sete dias para se jogar nas praias da região e não deixe de conhecer Maya Bay, Bamboo Island e Long Beach, as minhas prediletas.

Lá é preciso estar de mente e coração aberto para encontrar e interagir com turistas do mundo inteiro, com costumes muito diferentes dos seus, todos em busca daquele paraíso perdido de Leonardo Di Caprio e muita agitação. Agitação sim, pois ao entardecer Phi Phi também se transforma, oferecendo festas badaladas, shows pirotécnicos e de fogos, passeios de barco noturnos, pool party na orla, música eletrônica, paquera e outros prazeres mundanos, tudo como se não houvesse amanhã.

E a gente não pode terminar esse texto sem falar da culinária tão peculiar. Ao ir para a Tailândia deixe em casa qualquer apego ao arroz e feijão que você está acostumado. Chegando lá resista à tentação e não entre nos fast foods ocidentais. Experimente, se jogue nos pratos superapimentados, nas misturas exóticas, nos pescados, nos temperos como curry e gengibre, nos ensopados e macarrões. Em algum momento você vai escolher um prato impossível de comer, mas isso faz parte da experiência. Fique atento apenas à higiene das comidas de rua.

Uma viagem de 20 dias, como foi a nossa, definitivamente não é suficiente para conhecer todos os encantos da Tailândia. Muitas cidades, passeios, experiências e praias ficaram de fora do nosso roteiro, mas foi o bastante para nos apaixonarmos por esse país e termos a certeza que queremos voltar para nos envolvermos ainda mais com esse povo, com essa cultura, com essa terra linda de viver!

Encontre seu hotel ideal em Phi Phi aqui

1 Comentário

  1. Marcos tavares disse:

    Acho que só praias considerando que são 2 dias pra ir e 2 pra voltar via Etiópia 10 dias é suficiente.

Deixe o seu comentário!

RSS
Facebook
Instagram