Um pouquinho de El Calafate

  • por:
  • 9 de outubro de 2015
  • Nenhum comentário
Um pouquinho de El Calafate

El Calafate é uma cidade com cerca de 20 mil habitantes, localizada às margens do Lago Argentino, pertinho da Cordilheira dos Andes. Conhecida principalmente por ser a porta de entrada para o Parque Nacional Los Glaciares, a minha sensação é que a cidade tem como foco exatamente essa atração turística, pois não tem muito o que fazer além disso. Mesmo assim vale a pena!

Apesar das poucas opções, passar três dias em El Calafate sem dúvida foi uma boa pedida. A cidade é de uma tranquilidade deliciosa e tem paisagens de tirar o fôlego. Lá você vai encontrar boa estrutura hoteleira, aeroporto moderno, clima frio e provavelmente neve nas montanhas, com temperatura média de sete graus.

Como já contei para vocês, fizemos uma visita espetacular ao Glaciar Perito Moreno, que você pode conferir aqui. Além desse glaciar, vale a pena visitar o Glaciar Upsala, muito bonito e interessante. Sem dúvida visitar o glaciar foi uma das grandes experiências da minha vida. A formação das geleiras é algo impressionante.

Hotel em El Calafate

Ficamos hospedados no hotel Rochester El Calafate, de categoria quatro estrelas, localizado a três quilômetros do centro de El Calafate. Quarto confortável, café da manhã simples, mas saboroso, hotel bem limpo e com funcionários atenciosos. Ruim mesmo só o wifi. O hotel oferece transfer para o centro entre 17h e 23h.

Os fundos do hotel dão para o Lago Argentino, mais austral dos grandes lagos patagônicos da Argentina, que é sem dúvida um dos pontos fortes da cidade. Tiramos algumas horas para passear as margens do lago, que tem ao fundo as montanhas cheias de gelo. Muito lindo.

Faça sua reserva no Hotel Rochester aqui

Quem tiver interesse, pode visitar o museu Glaciarium, um centro moderno que oferece aos visitantes da Patagônia uma visão interativa, onde os glaciares da região são as estrelas. O Museu está a 6 km de El Calafate e a entrada custa 200 pesos.

Outra opção de passeio é o centro de atividades Calafate Mountain Park, que funciona o ano inteiro e oferece atividades de acordo com o clima, com ou sem neve. Durante nossa estadia estava sem neve e com muito vento na cidade. Algumas pessoas falaram que não aproveitaríamos, então acabamos não indo.

Com relação à gastronomia, achei uma delícia, porém cara. Você não tem muitas opções para lanches rápidos, pois a maioria dos restaurantes são sofisticados. A comida mais gostosa que eu comi foi no restaurante do hotel: Bife de Chorizo argentino com redução de Malbec e batatas confitadas. Outros restaurantes que gostei muito foi o Pietro’s, que tem wifi (palmas) e porções grandes, e o La Letchuza, com cardápio variado e preço bom (tem mais de um na cidade). Vários restaurantes servem o cordeiro patagônico. Para quem gosta de carne a sugestão é o Casimiro Biguá Parrilla & Asador.

Por fim, quem quiser encarar um passeio de dia inteiro ou de um dia para o outro partindo de Calafate pode ir para El Chalten ou Torres Del Paine, dois lugares lindos localizados no Chile, mas são bem longes.

Com já disse aí em cima, achei os preços lá bem caros, principalmente que levei pesos aqui do Brasil. Se eu tivesse levado reais para trocar lá, teria sido bem melhor. Vou preparar uma postagem só sobre moeda. Em breve libero para vocês.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

RSS
Facebook
Instagram